CICLOATIVISMO
DOCUMENTÁRIO SOBRE CICLISTAS É DISPONIBILIZADO NA INTERNET

Criado e produzido pela VICE para o Itaú, Ciclos mostra os movimentos sobre duas rodas dos moradores das metrópoles; curta-metragem que chegou aos cinemas no dia 26 de janeiro, em sessões gratuitas, agora pode ser assistido também na internet


O documentário Ciclos, que acompanha a rotina de um grupo de ciclistas em São Paulo e chegou aos cinemas na última semana, agora pode ser assistido também na internet, gratuitamente. Hospedado no site www.projetociclos.com.br desde o domingo, 29 de janeiro, o filme busca mapear as singularidades no fluxo das metrópoles e os desejos e necessidades dos habitantes que encontraram no uso da bicicleta uma maneira de mudarem as suas vidas. Ciclos está em cartaz ainda nos cinemas, nas salas Espaço Itaú de Cinema nas cidades de Brasília (DF), Curitiba (PR), Porto Alegre (RS), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA) e São Paulo (SP), sendo exibido em sessões duplas e gratuitas, junto com o documentário Bike vs Carros (2015).

www.projetociclos.com.br

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Dirigido por Alexandre Charro, criado e produzido pela VICE para o Itaú Unibanco, Ciclos acompanha o cotidiano de Magrão, Carol e Lorena. Cada um com um estilo, eles têm em comum o uso da bicicleta como um agente transformador de suas vidas. Magrão mostra as dificuldades de se viver numa área da cidade sem qualquer estrutura que privilegie o uso da bicicleta como meio de transporte. Lorena, advogada e atriz, está tentando mudar seus hábitos sedentários e passar a usar a bicicleta como meio de transporte e atividade física. Já Carol, que recentemente desistiu do trabalho num escritório e mudou seu estilo de vida, enfrenta os desafios de iniciar um negócio de entrega de flores por bicicleta.

"O filme quer dar voz à intuição, às pessoas comuns que buscam uma cidade mais saudável, mais equilibrada e amistosa", afirma o diretor. "São personagens do nosso tempo, marcados por acontecimentos e fatos presentes na vida urbana atual e retratados em suas atividades habituais ligadas à vida doméstica e profissional".

Apoiador da causa da mobilidade urbana, com diversas ações voltadas ao estímulo do uso da bicicleta na locomoção das pessoas, como o programa de bike-sharing em diversas cidades brasileiras e também em Santiago no Chile, o Itaú expande ainda mais a sua plataforma de atuação no tema com o lançamento do documentário.

"Com Ciclos queremos convidar as pessoas a refletirem sobre a mobilidade urbana nas cidades, alcançando especialmente aquelas que não têm a bicicleta inserida no seu dia-a-dia", afirma Luciana Nicola, Superintendente de Relações Governamentais e Institucionais do Itaú Unibanco. "Acreditamos que o Itaú, na condição de maior banco privado do Brasil e um dos maiores do mundo, tem o papel de devolver para a sociedade iniciativas que contribuam para o seu desenvolvimento integral. E o incentivo ao uso da bicicleta como transporte ativo é uma delas", completa a executiva.

"O Itaú procurou a VICE com a intenção de gerar uma discussão mais profunda sobre mobilidade urbana, uma importante causa defendida pela empresa, e um tema cada vez mais caro a todos nós. Nosso maior cuidado ao criar o Ciclos foi deixar de lado a romantização da bicicleta, saindo da esfera dos interesses individuais e focando em tensões sociais importantes para a mobilidade ativa. É um conteúdo bastante humano e verdadeiro", afirma Gabriel Klein, Head de Criação da VICE.

Sinopse
Ciclos acompanha o cotidiano de Magrão, Carol e Lorena. Cada um com um estilo, eles têm em comum o uso da bicicleta como um agente transformador de suas vidas. São personagens do nosso tempo, retratados em suas atividades habituais ligadas à vida doméstica e profissional, marcados por acontecimentos e fatos recentes nas cidades. O documentário busca as singularidades dos movimentos e fluxos das metrópoles, os desejos e necessidades dos habitantes que encontraram no uso da bicicleta uma maneira de construir um território. Ciclos deixa de lado as vozes dos especialistas para ouvir a intuição e as pessoas comuns que buscam uma cidade mais saudável, mais equilibrada e amistosa.

Os personagens
Professor de história e cicloativista da Zona Leste (região de Itaquera), Eduardo Magrão, 52 anos, é um dos articuladores do coletivo Bike Zona Leste, que luta por melhorias das ciclovias/ ciclofaixas na periferia, além de fazer parte do coletivo Ciclovia na Periferia. Eleito como suplente no Conselho Municipal de Trânsito e Transporte de 2016, Magrão trabalha como professor de história da rede pública 2 dias por semana - no restante dos dias, se dedica às questões de mobilidade e bicicleta. Divorciado 2 vezes, tem uma filha cuja relação gira bastante em torno da bike – é nos fins de semana que os dois passeiam juntos.

Com 35 anos, Carolina Sayuri Ikeda, adotou a bicicleta como meio de transporte. Depois que seu filho nasceu, começou a usar a bike para levá-lo à escola e para ir ao trabalho. Essa mudança foi uma virada na sua vida. A transformação foi tanta que começou a incentivar outras pessoas a mudar de hábito, também, e acabou se engajando em eventos relacionados à bike. Seis anos depois de adotar a magrela, realizou o sonho de abrir uma floricultura, para a qual faz as entregas de flores com sua bicicleta.

Advogada de direitos autorais e atriz da companhia Os Satyros, Lorena Garrido nasceu em São Luis no Maranhão, e se mudou para São Paulo há poucos anos onde iniciou sua carreira como atriz. Aos 27, está começando a usar a bicicleta como meio de transporte.

CONTEÚDO EXCLUSIVO P/ ASSINANTES
Digite seu login e senha e faça seu download

Login:   Senha:  
 

 

 

 

 

 

 

 
1997-2017 Editora Quatro Estações - Todos os Direitos Reservados