MOBILIDADE URBANA
Hack'n Bike

Maratona reúne desenvolvedores para criar sistemas do Programa Bike SP, que incentiva o uso da bicicleta em São Paulo


O Programa Bike SP vai oferecer créditos para quem usar a bicicleta em seus deslocamentos diários na cidade no lugar do ônibus ou outros meios de transporte cobertos pelo Bilhete Único. Nos dias 26 e 27 de maio, hackers e programadores estarão reunidos na Hack'n Bike, maratona de desenvolvimento para criar sistemas de controle para o Bike SP, validando as viagens e criando ferramentas para o cumprimento da lei. Os melhores trabalhos concorrem a R$ 19 mil em prêmios.

Aprovado em 2016, o programa de autoria do vereador Police Neto determina que pelo menos parte do subsídio que a Prefeitura paga para bancar a rede de ônibus seja transformada em incentivo para os ciclistas. Os créditos serão calculados conforme a distância percorrida, o horário e o local da viagem. A proposta negociada com a Prefeitura transforma o Bilhete Único em Bilhete da Mobilidade, de modo que os créditos carregados ali possam ser utilizados numa rede credenciada de serviços que inclua o compartilhamento de bicicletas, oficinas de reparos e a venda de bikes.

"Hoje, o cidadão paga R$ 4,00 pela passagem, mas o preço final com o subsídio da Prefeitura chega a R$ 6,66, em média", explica o vereador Police Neto. "O programa transforma a diferença de R$ 2,66 em créditos para quem se cadastrar no sistema e realizar suas viagens de bicicleta. Ou seja, podemos revolucionar o uso da bike em São Paulo sem gerar novos custos e ainda desafogar o sistema, com menos congestionamentos e uma melhora geral na mobilidade urbana. Além de todas as vantagens que a bicicleta traz: promove a saúde e não polui o meio ambiente." Pesquisa recente do Cebrap/Itaú Unibanco mostra que ampliar o uso da bicicleta poderia adicionar R$ 870 milhões ao PIB da cidade, só considerando a redução do tempo gasto no trânsito.    

O benefício do Bike SP contempla quem usa carro, ônibus, metrô e trem – basta a pessoa adquirir o Bilhete Único e carregar o valor equivalente ao que gastaria na rede de transporte coletivo. O crédito correspondente às viagens substituídas pela bicicleta fica acumulado para que o usuário gaste como preferir, na rede credenciada ou no pagamento de serviços públicos, como contas de água e luz.  

O Hack'n Bike vai oferecer R$ 19 mil em prêmios para os três primeiros colocados, incluindo seis meses de incubação e ajuda de custo para o melhor sistema. A inscrição é gratuita, e mentores especialistas na área vão orientar os grupos de participantes. A maratona começa às 9 horas do sábado (26/5) e termina às 18 horas do domingo (27/5). O evento é realizado pela Cidade Viva, incubadora de projetos criada por Police Neto, com patrocínio da Yellow Bike, Tembici, Caloi, Shimano e Eureka Coworking, e tem o apoio da Shawee.io, Trunfo e do Bike Ajuda.

"Integrar a bike com os outros meios de locomoção, como ônibus, trem e metrô, é uma realidade mundial, e a cidade de São Paulo precisa se adequar para não parar literalmente", diz o diretor de marketing da Caloi, Eduardo Rocha. "Nada melhor do que utilizar a bicicleta e, assim, fazer exercício físico e combater a poluição ao mesmo tempo."

Para Daniel Moral, co-fundador da Eureka Coworking, espaço compartilhado de trabalho na cidade que incentiva a mobilidade por bicicleta, o Bike SP "é um marco na história da cidade". Segundo ele, com o programa "passamos a apoiar o uso da bicicleta de uma forma inédita e, mais do que isso, a desenhar o que queremos para o futuro de São Paulo".

Meetup
Na próxima quinta-feira (17/5), às 19h30, os organizadores convidam os participantes a conhecer o regulamento da maratona e os detalhes do Bike SP em meetup no MobiLab, na rua Boa Vista, 136 (centro), com a presença de Police Neto, Ariel Lambrecht, co-fundador e CPO da Yellow e um dos criadores da 99, e Jairo Iglesias, desenvolvedor e co-fundador da Kinetics.

"O Programa Bike SP é uma ideia inovadora muito importante para a sociedade. O colaborador poderá escolher seu meio de transporte para chegar ao trabalho, diminuindo os problemas de saúde causados pela falta de atividade física e o estresse de quem está sempre preso no trânsito", afirma Filó Silva, sócia do projeto Pedal Sustentável, tecnologia que converte pedaladas em eletricidade.

"A Shimano apoia iniciativas públicas e privadas em prol do desenvolvimento da cultura e do mercado de bicicletas no Brasil. A utilização da solução de Bike Share aliada ao Programa Bike SP trará muitos benefícios para a mobilidade em São Paulo", diz João Magalhães, assessor da Shimano.

Para participar, faça sua pré-inscrição: https://app.shawee.io/hackathon/hackn-bike

Hack'n Bike
Quando: Das 9 horas do dia 26/5 (sábado),
às 18 horas do dia 27/6 (domingo)
Onde: Auditório Totvs, Av. Brás Leme, 1000, Santana, São Paulo

Prêmios
1º colocado: R$ 8 mil + 6 meses de incubação do projeto no Eureka Coworking + R$ 1 mil por mês;
2º colocado: R$ 4 mil;
3º colocado: R$ 1 mil

Meetup
Quando: Dia 17/5, às 19h30.
Onde: MobiLab, Rua Boa Vista, 136 (centro), São Paulo
Conheça a íntegra da lei do Bike SP:
http://legislacao.prefeitura.sp.gov.br/leis/lei-16547-de-21-de-setembro-de-2016/





CONTEÚDO EXCLUSIVO P/ ASSINANTES
Digite seu login e senha e faça seu download

Login:   Senha:  
 

 

 

 

 

 

 

 
1997-2018 Editora Quatro Estações - Todos os Direitos Reservados